.: início :. .: contactos :.

corroios

Os vestígios mais antigos da presença humana em Corroios, datam da época romana e situam-se na quinta do Rouxinol. Em 1385, D. João I doou ao Condestável Nuno Alvares Pereira terras do termo de Almada, incluindo algumas na Freguesia de Corroios, onde aquele criou uma quinta. Em 1403, D. Nuno mandou edificar o primeiro moinho de maré do concelho do Seixal.

Na época da Expansão, esta era uma importante zona de abastecimento de diversos produtos a Lisboa.

A paróquia de Corroios foi fundada em 1369, fazendo nesse tempo parte integrante do termo de Almada, o qual englobava basicamente os actuais territórios dos concelhos de Almada e Seixal.

Com a criação do Concelho do Seixal, a 6 de Novembro de 1836, a paróquia de Corroios foi extinta ficando, a partir dessa data, integrada na Freguesia de Amora. Finalmente, a 7 de abril de 1976, e após um longo período de quase século e meio, foi restaurada a Freguesia de Corroios.

Em 20 de Maio de 1993, prolongando-se já a malha urbana continuamente desde Miratejo até Vale de Milhaços e Corroios foi elevada à categoria de Vila.

Património

Corroios tem também um importante património natural, do qual merece destaque o Sapal de Corroios, integrado na REN -Reserva Ecológica Nacional devido à importância que tem na manutenção de diferentes comunidades vegetais e animais. Este local serve de pouso temporário para muitas aves migratórias como o flamingo, o alfaiate, o perna-longa, a garça e o pato-bravo, que aqui procuram alimento e abrigo. O Sapal de Corroios funciona também como uma “maternidade” e “creche” para diversas espécies de moluscos, crustáceos e peixes. Ao longo das margens da Baía do Seixal, é possível, por vezes, observar as aves a alimentarem-se, sendo as mais emblemáticas as garças, reais e esporadicamente colónias de flamingos.

O património histórico é igualmente valioso e diversificado: a Igreja Paroquial de Nª Senhora da Graça; a Quinta do Castelo; a Sociedade Africana de Pólvora em Vale de Milhaços; o Moinho de Maré de Corroios (edifício Classificado de interesse Público); a Olaria Romana, que funcionou entre os séculos II e IV.

O Moinho de Maré de Corroios, simbolo da Freguesia de Corroios e do Concelho do Seixal, foi mandado construir por D. Nuno Álvares Pereira em 1403. Actualmente é o único moinho de maré a funcionar e é propriedade municipal, integrado no Ecomuseu como Núcleo do Património Industrial.